ALVENARIAS DE VEDAÇÃO, QUANDO E COMO ADEQUÁ-LAS À ESTRUTURA?

 

 

As paredes sem função estrutural, também conhecidas como alvenarias de vedação, são parte fundamental para a qualidade das construções mais comuns no Brasil. Além de uma amarração bem feita, a forma como ela é inserida na estrutura pode ser determinante para durabilidade, adequação de uso e bem-estar dos seus clientes. 

Mesmo não tendo qualquer função estrutural, as alvenarias de vedação exigem uma atenção especial durante a obra por representar grande parte das superfícies verticais em casas e edifícios.

Neste artigo, vamos conversar um pouco mais sobre o assunto com a ajuda de Roberto de Araújo Coelho, diretor da Racional Sistemas Construtivos. Vamos falar sobre a importância de adequar essas paredes à estrutura, quais são as formas mais comuns de fazer isso e a importância de escolher materiais de qualidade. Vamos lá?

A importância da amarração em paredes de alvenaria

É difícil que qualquer profissional da engenharia não saiba da importância de uma amarração cuidadosa e de qualidade nas paredes durante a construção. As alvenarias de vedação fazem parte de praticamente todas as obras brasileiras e podem dar muita dor de cabeça ao proprietário quando não são bem elaboradas.

Como Roberto aponta, “são elementos que fixamaos os revestimentos, portas, janelas, instalações hidráulicas e elétricas, bancadas, prateleiras etc. Essas intervenções, muitas vezes, causam danos e reduzem o desempenho das alvenarias, podendo conduzir ao surgimento de patologias como fissuras, por exemplo”.

Ou seja, projetar e executar uma boa vinculação da parede à estrutura é uma garantia de menos gastos com manutenção por parte do morador e, como consequência, a consolidação de uma imagem de qualidade e confiança para as empresas responsáveis pelo projeto e pela construção.

Os materiais mais comuns para adequação das alvenarias de vedação

Para ter segurança e confiabilidade em uma alvenaria de vedação, elas devem ter algum vínculo com a estrutura (pilares e vigas), evitando que elas tombem com esforços horizontais como aqueles provocados pela ação do vento, pequenos impactos ou cargas suspensas.

Mas Roberto também aponta que é preciso ter cuidado nessa etapa para atingir um equilíbrio: “esse vínculo deve evitar, quando possível, que as paredes recebam parcela das cargas oriundas da estrutura devido à ação conjunta entre ambas. No caso de estruturas muito flexíveis, as paredes contribuem para o enrijecimento do conjunto e passam a ter uma função ‘estrutural’ não prevista originalmente”. Nesses casos a parede deve estar preparada para absorver as tensões e deformações oriundas desse trabalho conjunto.

Atualmente, existem três tipos de material utilizado para adequar a parede para trabalhar em conjunto com a estrutura. Entenda como eles funcionam:

Tela eletrossoldada

Esse tipo de material é mais adequado para a vinculação das paredes aos pilares, quando uma tela é fixada aos pilares e inserida na junta de assentamento horizontal de argamassa. Também é possível, nesse caso, utilizar uma barra de aço de pequeno diâmetro, mas o tipo tela é uma solução mais elaborada e atual, trazendo alguns benefícios a esse processo:

  • melhor dissipação das tensões, evitando trincas e fissuras;
  • durabilidade maior, com maior resistência e segurança;
  • rapidez e praticidade na aplicação.

Treliça plana galvanizada

Mesmo que a alvenaria de vedação seja muito eficiente para resistir a forças de compressão, elas precisam de um cuidado ainda maior quando sujeitas a forças que causem tração. Nesse caso, Roberto recomenda como produto mais adequado a treliça plana galvanizada, largamente empregada na Europa:

“Nesses casos, ocorre uma drástica redução/eliminação das patologias usuais nesses sistemas. Pode ser empregada em cada fiada ou em fiadas alternadas, dependendo da situação. É um grande avanço na produção das alvenarias, que permaneceram por longas décadas sem um entendimento mais profundo. Não se trata de produzir uma alvenaria armada, mas de conferir resiliência que possibilite deformar, acompanhando a estrutura, sem gerar patologias ou fissuras.”

Entre as vantagens desse modelo, está o ganho de desempenho sem aumentar o tempo de construção. Esse tipo de armadura pré-fabricada aumenta o espaçamento entre pilaretes e cintas e pode substituir as vergas e contra-vergas sem dificuldade.

Telas eletrossoldadas galvanizadas

Esse último material para vinculação de alvenaria de vedação tem uma função um pouco diferente. Nesse caso, as telas são utilizadas para o reforço do revestimento, e não da parede.

Roberto explica: “são telas eletrossoldadas inseridas no centro da espessura do revestimento, destinadas a absorver parte das tensões oriundas das retrações do revestimento, da dilatação térmica ou higroscópica deles, ou da retração diferenciada oriunda de bases diferentes nas interfaces entre estrutura e alvenarias.”

Ou seja, a tela eletrossoldada atua especificamente nas forças aplicadas à argamassa, impedindo que ela apresente fissuras com o tempo, garantindo maior aderência.

O retorno de um investimento em materiais de qualidade

Agora que discutimos sobre a importância das alvenarias de vedação e os materiais mais utilizados para adequá-las as paredes à estrutura, ainda fica um ponto importante faltando: não basta conhecer e saber implementar técnicas modernas de produção se os materiais utilizados não oferecem a qualidade que você precisa para uma obra bem elaborada.

Isso fica ainda mais aparente quando há alguma irregularidade no dimensionamento para situações de uso previstas no projeto arquitetônico. Nesses casos, o reforço inadequado leva o material a trabalhar de forma diferente daquela idealizada originalmente. Somando a isso uma fragilidade do produto, o resultado quase sempre é o surgimento de patologias.

Roberto reforça esse ponto: “a vinculação da alvenaria à estrutura faz com que ambas trabalhem conjuntamente e, devido à grande rigidez das paredes, elas acabam por se transformar em elementos de contraventamento. Isso enrijece a estrutura de forma global, trazendo para si parcela importante dos esforços oriundos dos deslocamentos tanto horizontais quanto verticais.”

Portanto, trazer segurança e confiança para suas construções — e para a sua empresa perante os clientes —, é uma combinação de boas práticas e materiais de qualidade.

Estamos de vez em um novo século e é preciso dessa união de cuidados para manter um negócio relevante em um futuro próximo — começando pelos recursos que você utiliza e terminando nas técnicas que você executa.

O próprio Roberto leva essa filosofia para dentro da Racional Sistemas Construtivos e afirma que “o aprofundamento nesse tema é de suma importância para inserirmos a produção de alvenarias no século XXI”.

Sim, as alvenarias de vedação fizeram parte da engenharia civil brasileira nos últimos cem anos. Para que ela continue sendo a solução prática e eficiente que sempre foi, cabe ao profissional da engenharia buscar as melhores condições de construção.

Então, que tal começar pesquisando as melhores opções de material no mercado? Entre em contato conosco! A Belgo é líder em qualidade no mercado e possui todas as opções para vinculação de alvenaria à estrutura que você precisa.

Leave A Comment